Xamanismo - 18


Viagem Interior Xamânica


O Jacaré


O jacaré é uma forma de vida muito antiga, vem de muito longe no tempo. Ter por aliado um jacaré nos permitirá recuperar capacidades há muito tempo esquecidas e a compreender o jacaré que vive dentro de nós, e ter amizade com ele. Vamos fazer com que o jacaré dentro de nós aja como precisamos que ele aja agora, no começo do novo milênio.


O Animal de Poder

Deixe sua imaginação sonhar,
sonhar uma outra época,
uma época antiga
no alto pico duma montanha,
sonhar um Templo do Sol.
Você pode sentir a Luz do Sol
alegrar-se em você.
Na Luz do Sol, você se lembra
da Luz que você é.
Mercúrio, o deus dos caminhos,
aparece em sua frente.
Quer mostrar
um novo caminho a você.
Em companhia de Mercúrio,
você está andando
pelos corredores do templo,
descendo uma escada meio escura,
mal iluminada
por velas fixadas nas paredes,
escutando o som
dos seus pés nos degraus de pedra
e a reverberação dos seus passos,
descendo para uma cripta
que você não suspeitava,
respirando esse ar antigo
dos lugares esquecidos,
esse cheiro
de incenso e de cogumelos.
Mercúrio abre uma porta
de ferro enferrujada,
gemendo ao se abrir,
revelando a entrada escura
de uma caverna,
que a Luz irradiando de você ilumina,
ilumina-se na Luz que você é.
O caminho está descendo.
A Luz irradiando de você
ilumina Mercúrio,
andando à sua frente.
Um gesto de Mercúrio avisa
para prestar atenção:
vocês estão chegando
a uma sala gigantesca.
Um lago subterrâneo se estende
diante de você.
Mercúrio aponta a mão para a água,
mandando Energia, chamando algo.
O gesto dele
gera um turbilhão na água.
Da água turbilhonando emerge
a cabeça de um Jacaré.
Você manda paz para ele.
Manda amizade e respeito para ele.
E você sente que o Jacaré retribui,
manda respeito, paz
e amizade para você,
Sai da água,
anda meio deslizando até seus pés.
É muito grande, muito velho
e muito forte.
Seguindo o conselho de Mercúrio,
você pede ao Jacaré
que abra a boca
e você entra no Jacaré.
Agora, pode olhar pelos olhos dele,
andar deslizando pelas patas dele,
entrando na água.
Mergulha na água profunda.
Mergulha
nas águas profundas do Tempo.
Está mergulhando
nas águas profundas da memória.
Sentindo...
olhando... percebendo... escutando...
lembrando-se...
lembrando-se
de um pantanal de outrora,
sua barriga em contato com a terra
de uma ilha.
Sentindo... olhando... percebendo...
meditando a Luz do dia,
o fluir da brisa.
Meditando a chuva
que começa a cair.
Dentre as ervas molhadas
um flamingo está alçando voo.
Meditando o alçar voo do flamingo.
Meditando o descer da noite,
o luar nas ervas úmidas do pantanal,
o luar oscilando por cima das águas.
Meditando,
sua barriga em contato com a terra.
Meditando a terra, a água.
Meditando o ar.
Em um deslizar, de repente,
você abre a boca e mastiga
esse imprudente pássaro aquático.
Meditando o sabor do pássaro.
Meditando o sabor da vida.
O sabor do pantanal.
Meditando o sabor do luar.
Um cheiro selvagem de suor,
um barulhinho na água:
um animal feroz
está se aproximando,
uma onça gigante.
Você a observa com tranquilidade,
com sua tranquilidade de Jacaré.
Você medita a onça,
com tranquilidade.
E agora, sua consciência,
a consciência Jacaré,
a consciência humana em comunhão
com a consciência Jacaré,
olha para sua vida quotidiana.
Olhando sua vida quotidiana
com o olhar Jacaré.
Meditando sua vida quotidiana,
a sua barriga de Jacaré
em contato total com a terra,
meditando
sua vida quotidiana na cidade.
Com tranquilidade.
Você focaliza o Templo do Sol,
você está no Templo do Sol, embaixo
da grande cachoeira de Luz.
Você é você, no seu corpo humano.
Mas na Luz do Sol,
na Luz da cachoeira,
você continua a sentir
o Jacaré em você,
a tranquilidade,
o contato total com a terra.
O Poder do Jacaré em você.
Sua harmonia divina com a Realidade.


Comentário


Na sua vida quotidiana, quando há o risco das emoções tomarem conta de você e distorcerem sua compreensão e suas ações, quando você precisa de sangue frio, chame seu aliado, o jacaré. Vista a visão do jacaré. Experimente.


Próxima (19) | Índice | Anterior (17)


Fonte do Texto

O site www.dassigny.com.br autorizou a reprodução dos seus textos. Infelizmente esse site não existe mais, desde 2015, pelo menos. Adaptei o título e o subtítulo principal nas páginas deste setor do sítio.


Buscar no Site


Buscar na Web


Home