Bhagavad-Gita


Índice



 INTRODUÇÃO


 1: IGNORÂNCIA E SOFRIMENTO DE ARJUNA


 2: REVELAÇÃO DA VERDADE


 3: YOGA DA AÇÃO


 4: DA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL


 5: A SABEDORIA DO DESAPEGO


 6: EXERCÍCIO DE MEDITAÇÃO


 7: SABEDORIA DA VISÃO ESPIRITUAL


 8: INTEGRAÇÃO NA SUPREMA DIVINDADE


 9: SANTIFICAÇÃO INTERNA PELO MISTÉRIO SUBLIME


10: DAS MANIFESTAÇÕES DE DEUS NO UNIVERSO


11: A VISÃO DA FORMA CÓSMICA DE DEUS


12: DO AMOR UNIVERSAL


13: RELAÇÃO ENTRE CORPO E ALMA


14: VITÓRIA SOBRE AS TRÊS FORÇAS DA NATUREZA


15: YOGA DO ALCANCE DO PRINCÍPIO SUPREMO


16: O DESTINO DOS INSENSATOS


17: OS TRÊS MOTIVOS DE AGIR


18: YOGA DA LIBERTAÇÃO TOTAL


Algumas Palavras

Bhagavad Gita significa "canção do bem-aventurado", em sânscrito. É um texto religioso hindu. Integra o épico Mahabharata, porém a sua composição é mais recente que o restante do livro. A versão do Mahabharata com o Bhagavad Gita é datada do século IV a.C.

O texto, em sânscrito, apresenta o diálogo de Krishna, tido como a suprema personalidade de Deus, verdade absoluta e inconcebível, com seu discípulo guerreiro em pleno campo de batalha. Arjuna representa o papel de uma alma confusa sobre o seu dever e é iluminado diretamente pelo Senhor Krishna, que o instrui na ciência da autorrealização. No transcurso da conversa são postos pontos importantes da filosofia divina, que incorporava já na época elementos do bramanismo e do Sankhya.

O Bhagavad Gita é a essência do conhecimento védico da Índia e um dos maiores clássicos de filosofia e espiritualidade do mundo. A filosofia perene do texto tem maravilhado grandes pensadores da humanidade, influenciando incontáveis movimentos espiritualistas.

(Texto adaptado da Wikipedia)


Home