Poesias de Euro Oscar - 5


Índice

  1. Um Milagre e o Recomeço.
  2. Cidadania.
  3. Reencontrar a Natureza.

Um Milagre e o Recomeço
(Soneto de elaboração complexa)

Do malogro ao milagre, do vinagre ao vinho!
Lágrimas alegres, gol aos quarenta e quatro.
Do alto um ímã me redime do remoinho.
Inda letárgico... e novas provas.    Meu teatro!

Memórias trevosas, de um rio de águas   terrosas.
Marmóreas trovas.     Inda frio,    sonho co'o sol.
Vitórias         simulo  com brio, risonho, em rosas.
Arbóreas, sem muro,        crio manhãs.  Arrebol.

Taça meio vazia, ante uma jarra cheeeeeia...
Teço a  fantasia...      e me jorra a fonte, à mão.
Torço os ossos, tusso os destroços. Sorte e meia!

Devagar, os fantasmas se afastam, de vez.
De vingar       miasmas em mim, nunca mais hão!
Deve    guiar-me a fé.      Amém!   Deus me refez.

Nesta composição construí um mosaico espacial, agrupando sons e grafias semelhantes, horizontal e verticalmente, no início, no meio e no fim das linhas, afora as rimas-padrão do soneto.
Cópia permitida, citando-se o autor Euro Oscar e o site https://www.eurooscar.com.
Se na Internet, incluir o link.


Cidadania
(Acróstico)

Educação abrangente, sã: fundação para uma gente cidadã.
Unidos todos os corações; menos gemidos nas televisões.
Resgatar o justo e ético; e atar em nó robusto e estético.
Ode libertária da consciência, pode, se diária, tomar essência.
Opinar soluções, aglutinar decisões, ajardinar de fé os porões.
Sanar, com juízo, o planeta. Emanar um sorriso de cada careta.
Crianças em horizonte de esperanças, ponte segura à fartura!
Adotar nobres causas e abarrotar aos pobres, sem pausas.
Regrar direitos e deveres; integrar, satisfeitos, todos os seres.

Composição complexa. A partir do acróstico, elaborei rimas internas múltiplas, em sequência.
Cópia permitida, citando-se o autor Euro Oscar e o site https://www.eurooscar.com.
Se na Internet, incluir o link.


Reencontrar a Natureza
(Acróstico)

Enquanto miras a TV, a vida te acena, convidando.
Usas fones nos ouvidos mas a Natureza quer cantar-te.
Ricas vestes trajas mas o vento te quer beijar.
O sol te anseia afagar, o riacho deseja te refrescar.
O cimento, a burocracia da cidade, distraem e traem,
Semáforos, neons, na noite; mas nos campos há mais
Corre lá e verás cometas, astros e discos-voadores.
A metrópole é bela cortina. Abre-a! Eis a vida no palco!
Romantismo, poesia; que atávico cenário! Um reencontro.

Cópia permitida, citando-se o autor Euro Oscar e o site https://www.eurooscar.com.
Se na Internet, incluir o link.


Próxima (6) | Índice | Anterior (4)


Home


Buscar no Site


Buscar na Web