Discursos de Sai Baba

Discurso da 29ª Convocação (formatura) do Instituto Sri Sathya Sai de Ensino Superior (SSSIHL)

Data: 22/11/2010 – Ocasião: Convocação – Local: Prasanthi Nilayam


Estudantes, Encarnações do Amor Divino!

Todos vocês gostariam de que Swami dissesse ao menos algumas palavras. Vocês sentem: “Que bom se Swami falasse por alguns minutos!” Entretanto, Eu não quero dizer coisa alguma sobre o atual sistema de educação.

“Esta terra de Bharat é o berço de muitas mulheres nobres como Savitri, Que trouxe o seu marido morto de volta à vida; Chandramati, que apagou um avassalador incêndio com o poder da verdade; Sita, que provou a sua castidade saindo incólume das chamas, e Damayanti, que reduziu a cinzas um caçador perverso com o poder da sua castidade”.
(Poema em télugo)

Inicialmente, Chandramati foi tomada pelo temor devido ao voraz incêndio da floresta. Ela, junto a seu marido e seu filho, foi envolvida pelas chamas desse fogo. Ninguém poderia dizer como eles foram, de repente, rodeados pelas chamas furiosas. Em realidade, isso foi um jogo divino. Finalmente, quando Chandramati usou o seu poder da verdade e da castidade, o fogo foi extinto num instante. Quando Chandramati rezou, aconteceu uma tempestade. De um lado, havia um intenso fogo e, do outro, começou uma pesada chuva e, finalmente, o fogo foi completamente extinto.


Bharat é a Terra de Mulheres de Grande Castidade

Savitri também era dotada de grande poder de penitência e castidade. Conseguiu até mesmo evitar que Yama (o Senhor da Morte) levasse a vida de seu marido. Argumentou com Yama e disse-lhe, “A vida da esposa depende de seu marido e a dele, de sua esposa. Um não pode viver sem o outro. Portanto, se você quiser tomar a vida do meu marido, tome também a minha. Ou, em vez disso, poupe a sua vida. Nós não somos separados um do outro. É meu dever fundamental salvaguardar a vida do meu marido.” Finalmente, o Senhor Yama teve de restituir a vida do marido de Savitri. Existe algum país ou região neste mundo onde seja possível encontrar uma mulher como Savitri, que foi capaz de trazer seu marido morto de volta à vida?

Esse divino poder está latente em todo ser humano. O homem deveria atrair esse poder de seu interior, o qual poderá ser utilizado não só para si mesmo, mas também para seus semelhantes.

Durante aquele tempo, a esposa considerava seu marido como sua própria vida e vice-versa. Mas, infelizmente, a situação não é a mesma hoje em dia. Este sagrado país de Bharat (Índia) é rodeado pelos sete mares. Neste país, muitas mulheres como Damayanti e Savitri desempenham intensa penitência. São todas mulheres de grande pureza. Mas, atualmente, não encontramos mulheres de grande castidade.


Desenvolvam Unidade e Harmonia em Família

Uma pativrata (mulher casta) é aquela que considera seu pati (marido) como sua própria vida, dependendo inteiramente dele. Uma pativrata é aquela que não replica a seu marido. Nela não há sequer um mínimo defeito. Não tem quaisquer desejos egoístas. Tudo que ela faz é em benefício de seu marido. Nem sequer olha para outro homem que não seja seu marido. Somente uma mulher assim pode ser chamada de verdadeira pativrata. Mas as mulheres modernas não seguem seus maridos. Não ouvem o que seus maridos dizem. Quando a esposa segue seu marido, ele segue sua esposa, e ambos levam a vida em harmonia, então todo o país atinge paz e prosperidade. É devido às diferenças entre marido e esposa e à desunião familiar que o país está submetido a uma dificuldade após outra. Ambos, marido e esposa, deveriam compreender um ao outro, adaptando-se mutuamente.

Uma pativrata, que obedece estritamente ao comando de seu marido, pode fazer tudo. Se prepara o alimento para seu marido com água salgada do mar, ela será transformada em água doce. Quando a esposa obedece a seu marido, e ele preenche os desejos de sua esposa, então o futuro da família está a salvo e seguro. Se agirem de forma contrária, a família estará sujeita a grandes sofrimentos. Ambos, marido e esposa, podem conduzir-se de maneira decente quando estão em casa. Mas, assim que põem o pé fora de casa, tornam-se indulgentes com toda espécie de males. Se não houver unidade e harmonia entre o casal, de nada adiantarão as práticas espirituais como japa, dhyana (repetição do Nome Divino, meditação), etc.

Quando a esposa segue seu marido, e ele segue sua esposa, há grande felicidade na família. Esforcem-se para alcançar tal unidade e harmonia em sua família. Então, toda a sua vida será feliz e tranquila, sem absolutamente quaisquer preocupações. Todas as dificuldades suas são produzidas por vocês mesmos. Não provêm de Deus. Deus não está longe. É imanente no homem. Vocês devem ter fé inabalável nessa verdade. Então haverá felicidade não só para o indivíduo, mas também em sociedade. Um coração puro é o templo de Deus. Portanto, desenvolvam o amor em seus corações. Vocês alcançarão tudo na vida.

Haverá paz e felicidade na família quando ambos, marido e esposa, partilharem os mesmos pontos de vista. Uma pativrata é aquela que não tem outro pensamento em qualquer pessoa ou coisa, exceto em seu marido. Uma mulher que leve sua vida com inabalável fé em seu marido pode alcançar tudo em sua vida. Quando ambos seguirem caminhos diferentes, então não poderá haver paz e felicidade na família. Vocês não devem permitir que sua mente oscile ora por um, ora por outro caminho. Devem focá-la totalmente em Deus. Contemplação em Deus é a base para adquirir unidade e harmonia na família. Quando a esposa ora a Deus, o marido se tornará uma boa pessoa.

A mulher casta de outrora, como Savitri e Damayanti, tinha uma devoção unidirecionada para com seu marido. Sita foi mantida prisioneira em Lanka por dez meses. Mas nunca, nem uma única vez, olhou para o rosto de algum homem. Empregou todo seu tempo na contemplação de Rama, sentada sob uma árvore, na floresta de Ashoka. Ela, definitivamente, não se movia de lá. Como era uma mulher casta tão elevada, pôde provar sua pureza através de agni pariksha (teste do fogo).


Deus Reside em Todos os Seres

Deus é somente um, não dois. Ele é o habitante dos seus corações. Se, constantemente, O contemplarem, vocês também se tornarão Deus. Seja com quem for que encontrem, considerem tais pessoas como encarnações da divindade. Esse é o princípio da divindade. Por outro lado, se vocês seguirem as oscilações da sua mente e arbitrariamente perambularem por aí, como poderão vir a ser Deus? Quando vocês se dirigem à sua faculdade, por que olhar aqui e lá e se abandonarem em fútil tagarelice? Foquem a sua mente no propósito pelo qual vieram. Façam seu trabalho sem desenvolver contatos desnecessários. Cuidem de sua família. Nada há de errado nisso. Ninguém lhes diz que devem deixar seus deveres mundanos. Vivam no mundo e realizem seus deveres. Mas sempre tenham sentimentos divinos.

Muitas pessoas vão a lugares de peregrinação, tais como Badrinath, Amarnath, Kedarnath, Bhadrachalam e Tirupati, em busca por Deus. Pensam que podem encontrar Deus em tais lugares. Ó homens tolos, Deus não está em outro lugar! De fato, vocês mesmos são Deus. Deus está presente em todos. Deus é somente um e está presente onde O procurarem. Está em vocês, com vocês, acima e abaixo de vocês. Deus está além do nascimento e da morte e habita cada ser na forma do Atma. Está presente em todos os seres humanos, desde a criança ao idoso. O mesmo Deus está presente numa formiga, num mosquito e em todas as aves e animais. Portanto, não se deem ao trabalho de sair em busca de Deus por aqui e acolá.

Para onde olharem, ali Deus está presente. Seja quem for que vejam, Deus nele está. Deus não tem forma diferente. Todas as formas são Suas. É por essa razão que os Vedas declaram: “Sahasra Seersha Purusha Sahasraksha Sahasra Pad (O Ser Cósmico tem milhares de cabeças, olhos e pés)”.

Quando vocês sentam para a meditação, sua mente vagueia de lá para cá. Vocês não devem permitir que a mente oscile, mantendo-a sempre estável. Quando vocês vão a uma praia, ouvirão as ondas fazendo o som do OM! Quando se concentrarem nesse som, esquecerão tudo.

Já que todos vocês são jovens, quero enfatizar este aspecto: não desenvolvam oposição ou diferenças entre vocês. As controvérsias desencadeiam muitos problemas. Atualmente, algumas pessoas casam não uma, nem duas ou três vezes, mas até quatro vezes. Isso não é uma boa prática. Sejam determinados. Mesmo que alguém os irrite, não briguem com ele. Entendam que, ao brigar com os outros, na verdade, estão prejudicando a si mesmos. Controlem os seus pensamentos. Essa é a qualidade de uma pessoa verdadeiramente educada. Isso se chama Educare. Junto à educação formal vocês também devem ter Educare. Quando tiverem Educare, terão tudo – saúde, felicidade, paz e prosperidade. É isso que Eu quero que compreendam. Tudo se tornará benéfico a vocês, se tornarem o seu coração puro. Ao menos, de hoje em diante, tomem o caminho certo. Se alguém tentar levá-los para o mau caminho, não lhes deem atenção. Mesmo que uma pessoa assim chegue a vocês e tente iniciar uma conversa, nem mesmo olhem para ela. Simplesmente ignorem-na e se afastem.


Os Jovens Devem Promover a Unidade e Solidariedade

Os estudantes devem viver em unidade em todas as situações. Entretanto, hoje em dia, a unidade desapareceu completamente. Por outro lado, a animosidade está em ascensão. Quando um aluno alcança notas altas, outros estudantes começam a sentir ciúme dele. Isso não deveria ocorrer, porque o ciúme enseja o ódio. Haverá divisões posteriores se a política entrar nas instituições educacionais. Portanto, todos os estudantes devem viver em unidade e solidariedade.

Vocês devem adquirir unidade. Não há unidade na juventude hoje. Em primeiríssimo lugar, os jovens devem adiantar-se para ajudar um ao outro. A finalidade da educação é o caráter. Se o seu caráter é bom, então poderão alcançar tudo na vida. Vocês podem pensar que ganharam medalhas de ouro, alcançaram altas posições e adquiriram nome e fama. Mas, se lhes falta caráter, os diplomas serão simplesmente um pedaço de papel. É muito mais importante para vocês salvaguardarem seu caráter. Somente tal pessoa é verdadeiramente educada.

Quando Ravana levava Sita para Lanka, colocou todos os seus ornamentos num embrulho que rolou pela montanha. Enquanto Rama e Lakshmana procuravam por Sita, viram o embrulho que lhes foi mostrado por Sugriva. Rama pediu a Lakshmana que visse os ornamentos e os identificasse para saber se pertenciam a Sita. Então Lakshmana respondeu, “Irmão! Eu nunca olhei para o rosto de Sita e portanto não sei se estes enfeites pertencem a ela ou não. Eu só posso reconhecer as tornozeleiras, pois as vi quando oferecia minhas reverências aos seus pés diariamente.”

Sita, Rama e Lakshmana viveram juntos na floresta por quase quatorze anos. Mas nem ao menos uma vez, Lakshmana olhou para o rosto de Sita. Que pessoa de coração puro era Lakshmana! Toda vez que tinha de falar com Sita, o fazia com a cabeça baixa. Por ser uma pessoa tão nobre, podia usufruir da bênção da proximidade de Rama. Quando Lakshmana caiu inconsciente no campo de batalha, Rama disse: “Se eu procurar Eu posso encontrar uma esposa como Sita, mas não um irmão como Lakshmana! Eu posso suportar a separação de Sita, mas não a de Lakshmana”. Assim era o forte laço de amor entre Rama e Lakshmana.

Os estudantes também deveriam desenvolver tal unidade, considerando todos como seus irmãos. Todos são seres humanos. Todos são filhos de Deus. Portanto, vocês devem viver em unidade, não dando guarida a quaisquer diferenças. Esta é, hoje, Minha mensagem a vocês.



Tradução e revisão da Coordenação de Publicação
Conselho Central do Brasil



Índice dos Discursos

Setor sendo ampliado


Fonte

Organização Sri Sathya Sai do Brasil.
https://www.sathyasai.org.br


Agradecimento

Muito grato à equipe do site da Organização Sri Sathya Sai do Brasil, por ter atendido dois pedidos meus, via mensagens de e-mail, em agosto de 2007: o primeiro deles para utilizar os materiais do seu site; e o outro me consentindo a conversão dos PDFs com os discursos para páginas HTML, para uso neste site.



Buscar no Site

Home