Histórias Infantis Baseadas nos Ensinamentos de Buda



Página 43


A Madeira Verde Colhida (Preguiça)

Desenho de Sandro Neto Ribeiro

Desenho de Sandro Neto Ribeiro.


Era uma vez um professor mundialmente famoso e sagrado homem na cidade de Takkaslila. Ele tinha quinhentos estudantes sob seu comando.

Um dia estes quinhentos jovens foram a floresta para colher lenha para a fogueira. Um deles encontrou uma árvore sem folhas. Ele pensou, “Como sou um homem de sorte! Esta árvore deve estar morta e seca, perfeita para lenha. Então para que ter pressa? Vou tirar uma soneca enquanto os outros estão ocupados procurando madeiras. Quando chegar a hora de retornar, será fácil subir na árvore e quebrar os galhos para a lenha. Então para que ter pressa?”. Ele ajeitou sua jaqueta aos pés da árvore, deitou-se sobre ela e sentiu-se sonolento rapidamente, roncando ruidosamente.

Depois de algum tempo, todos os outros estudantes começaram a carregar suas trouxas de galhos e voltavam para Takkaslila, pelo caminho eles passaram pelo sonolento roncador. Eles bateram nele para fazê-lo acordar e disseram: “Levante-se! Levante-se. Esta na hora de voltar para o nosso professor”.

O preguiçoso estudante levantou-se rapidamente e arregalou os olhos. Ainda mal acordado, pulou na árvore. Ele começou a quebrar alguns galhos e descobriu que ainda estavam verdes, não estavam todos secos. Enquanto tentava quebrá-los, um deles escapou para trás e o atingiu no olho .Por isso ele tapava um olho com uma mão, enquanto terminava de colher os gravetos verdes para a sua trouxa. Então carregou tudo e voltou para Takkaslila correndo para alcançar os outros. Ele foi o último a chegar, e lançou sua trouxa ao topo do resto.

Enquanto isso, um convite chegou para uma cerimônia religiosa. Ela seria realizada no dia seguinte em um vilarejo distante. O sagrado homem disse aos seus quinhentos pupilos: “Este será um bom treinamento para vocês. Vocês terão que tomar café da manhã bem cedo, amanhã. Então irão para a vila, para uma tarefa religiosa. Quando vocês voltarem, tragam de volta minha parte de oferendas assim como as suas.

Os estudantes levantaram-se cedo na manhã seguinte. Eles acordaram a estudante cozinheira e pediram para ela preparar o mingau para o café da manhã. Ela saiu na escuridão para pegar alguma lenha na pilha. Ela pegou no topo, a trouxa de gravetos verdes que o homem preguiçoso havia trazido. Ela trouxe para dentro e tentou acender o fogo .Mas apesar de soprar e soprar , não conseguia fazer o fogo pegar. Os galhos estavam verdes e úmidos.

Quando o sol se levantou ainda não havia fogo para preparar o café. Os estudantes disseram: “Está ficando tão tarde para irmos para vila.” Então eles foram procurar o professor.

O professor perguntou-lhes, “Por que vocês ainda estão aqui? Por que ainda não partiram?”

Eles disseram a ele: “O preguiçoso, bom para nada, dormiu enquanto nós todos trabalhávamos. Ele subiu na árvore e acertou a si próprio em um olho. Ele só recolheu madeira verde e colocou no topo da pilha de lenha. Esta trouxa foi apanhada pela estudante cozinheira. Como a lenha estava verde e úmida ela não conseguiu acender o fogo para preparar o café da manhã. E agora está tão tarde para irmos a vila.”

O mundialmente famoso professor disse, "Um tolo que é preguiçoso, causa problemas para todos os outros. Quando aquilo que deveria ser feito cedo é deixado para depois, fica tarde para lamentar.

Moral da História

"Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje.”

A tradução deste texto é uma preciosa colaboração de Luciana Silva de Campos, com ilustração de Sandro Neto Ribeiro.

Próxima (44) | Índice | Anterior (42)


Nota deste Site

Estas histórias são textos educativos infantis com ensinamentos budistas, salutares como aulas ou lições de vida para todas as idades. O moral de cada história serve como exemplo que pode influenciar na escolha de atitudes e decisões corretas, lapidando o caráter e a conduta.

Depois de cuidadosa análise procedi algumas mudanças nesta área do site: renomeei o título principal, que era Parábolas Budistas, para Histórias Infantis Baseadas nos Ensinamentos de Buda. Também reorganizei a distribuição das histórias e adaptei os textos para o Novo Acordo Ortográfico. O site todo, que é educativo, sempre busca apresentar o português correto e atual em todas as páginas, sem palavrões nem gírias chulas. E o mesmo em relação às páginas em inglês.

A disposição atual das histórias infantis no índice das páginas é um pouco diferente da anterior, por isso algumas das histórias mudaram de página e o número total delas passou de 48 para 50.


Fonte

www.maisbelashistoriasbudistas.com
As Mais Belas Histórias Budistas, página criada por Sandro Neto Ribeiro, a quem muito agradeço pela oportunidade de aqui compartilhar valiosos materiais do seu interessante site. Com meus votos a ele de muito sucesso e felicidade.



Buscar no Site


Home