Histórias Infantis Baseadas nos Ensinamentos de Buda



Página 25


A Mulher Bela e Rica e sua Irmã Feia e Pobre


Desenho de Sandro Neto Ribeiro

Desenho de Sandro Neto Ribeiro.


Certa vez, uma mulher bela e bem trajada visitou uma casa. O dono da casa lhe perguntou quem era e ela respondeu que era a deusa da fortuna.

Mais que depressa o dono da casa acolheu respeitosamente essa mulher bela e rica e a tratou muito bem.

Logo depois, uma mulher feia e pobremente vestida bateu à mesma porta. O dono da casa perguntou-lhe quem era e a mulher lhe respondeu que ela era a deusa da pobreza.

O dono da casa, assustado, tentou por a mulher feia e pobre para fora de casa, mas ela recusou-se a sair, dizendo:

"A deusa da riqueza é minha irmã. Há um acordo tácito entre nós, segundo o qual nunca devemos viver separadamente; se você me enxotar, ela irá comigo."

Era a pura verdade. Assim que a horrenda mulher saiu, a outra, bela e rica, desapareceu.

O nascimento acompanha a morte. A fortuna acompanha o infortúnio. As más coisas seguem as boas coisas. Os seres humanos deveriam compreender isso.

Os tolos temem o infortúnio e lutam para conseguir a felicidade, mas aqueles que buscam a iluminação devem transcender a ambos e estar livres de todos os apegos mundanos.

Preciosa Colaboração de Márcio Barros - RJ.


Cultivando a Terra
(Sutra Zô-Agon)

Certa vez Sakyamuni passou por uma aldeia onde viviam os brâmanes, numa cidade no reino de Magadha, justamente quando um brâmane e outros homens estavam lavrando a terra.

O brâmane, ao ver Sakyamuni parado observando-os, chamou-o ao trabalho, dizendo-lhe: "Shamon (aquele que busca o caminho)! Como vê, estamos arando as nossas terras e plantando sementes para obter alimentos. Por que não faz o mesmo para obter comida sozinho?"

Sarcasticamente, ele censurou Sakyamuni por receber oferendas sem mínimo esforço.

Em resposta, Sakyamuni disse: "brâmane! Eu também estou arando e semeando, e portanto posso obter alimento."

Surpreso, o brâmane retorquiu: "Nunca o vi lavrando as suas terras. Se afirma que está, diga-me onde está o seu arado e o seu boi?" Imediatamente , Sakyamuni deu-lhe a seguinte resposta:

Fé é a semente que estou plantando;
Sabedoria é o meu arado;
Minha enxada elimina os maus carmas
dos atos, palavras e pensamentos.

Perseverança é o meu boi,
que carrega pesadas cargas com segurança,
vai e nunca volta;
segue e nunca se sente infeliz.

Eu cultivo assim;
Eu semeio assim.

Vida eterna é a colheita,
e estarei livre de todos os sofrimentos.

Diz- se que o brâmane, ao ouvir isso, despertou para a nobre missão do Buda.

Próxima (26) | Índice | Anterior (24)


Nota deste Site

Estas histórias são textos educativos infantis com ensinamentos budistas, salutares como aulas ou lições de vida para todas as idades. O moral de cada história serve como exemplo que pode influenciar na escolha de atitudes e decisões corretas, lapidando o caráter e a conduta.

Depois de cuidadosa análise procedi algumas mudanças nesta área do site: renomeei o título principal, que era Parábolas Budistas, para Histórias Infantis Baseadas nos Ensinamentos de Buda. Também reorganizei a distribuição das histórias e adaptei os textos para o Novo Acordo Ortográfico. O site todo, que é educativo, sempre busca apresentar o português correto e atual em todas as páginas, sem palavrões nem gírias chulas. E o mesmo em relação às páginas em inglês.

A disposição atual das histórias infantis no índice das páginas é um pouco diferente da anterior, por isso algumas das histórias mudaram de página e o número total delas passou de 48 para 50.


Fonte

www.maisbelashistoriasbudistas.com
As Mais Belas Histórias Budistas, página criada por Sandro Neto Ribeiro, a quem muito agradeço pela oportunidade de aqui compartilhar valiosos materiais do seu interessante site. Com meus votos a ele de muito sucesso e felicidade.



Buscar no Site


Home