Revista Amaluz: Página 98


Cápsula do Tempo. Wingmakers: Fazedores de Asas


Outra Entrevista do Dr. Anderson, por Anne


Parte 12 (de 13)
(Parte 1 da parte 10 da revista)


Início da Entrevista


Anne: "Mas estão manipulando as pessoas e estão escondendo informações delas. Se isso não é mau... o que é então?"

Dr. Anderson: "Pela sua definição, nosso governo nacional, nosso governo local, virtualmente todo negócio e organização, são maus. Todo mundo manipula e mantém informação escondida. Governos, organizações, e pessoas."

Anne: "Você está distorcendo minhas palavras. É uma questão de grau, certo?. Uma coisa é se eu não lhe falo a cor verdadeira dos meus cabelos, e é outra coisa se, como parte desta rede secreta, eu retenho informação sobre como estou manipulando a economia mundial. São completamente diferentes em magnitude. Não são coisas comparáveis. Ainda penso que é mau quando organizações manipulam e controlam coisas em seu próprio benefício."

Dr. Anderson: "Acredite em mim, eu não tive a intenção de ser o defensor destas organizações, mas você precisa entender que é importante e pode afetar você daqui para frente. Esta rede secreta de organizações poderosas está mais alinhada com as metas do Grupo Labirinto que os governos de nosso mundo, e, em particular, nossos líderes militares. Se você estiver preocupado com alguma coisa, seria de bom alvitre que se preocupasse mais com quem administra como o Congresso, e o Departamento de Defesa... não só nos Estados Unidos, mas em qualquer país."

Anne: "Como você pode dizer isso? Você está dizendo que nosso governo e líderes militares estão tentando nos causar danos e estas organizações manipulativas secretas estão tentando nos ajudar?"

Dr. Anderson: "O que estou dizendo é que a liderança da comunidade das nações do mundo é inepta, e pode ser comprada com o santo dólar. E esta não é a rede secreta que eu tenho falado que está manipulando nosso governo e as lideranças militares, para investir quantias enormes de dinheiro em forças destrutivas como armas nucleares e biológicas. Isto, eles estão decidindo por si mesmos. As organizações secretas que eu estou me referindo, se opõe a esses armamentos militares porque eles causam um certo grau de incerteza nos seus modelos de controle, tanto econômico como social...

"...Os políticos e líderes militares são os que estão investindo tempo, energia, e dinheiro em armas de destruição em massa, e estes, se alguém então é mau, são eles."

Anne: "Certo, entendo seu ponto. Mas você insinuou que estas organizações secretas tentariam e nos matariam se publicarmos e tornarmos tudo isso conhecido? Ainda não vejo como isso os faz tão nobres."

Dr. Anderson: "Eu não acho que tem que se preocupar com essas organizações secretas. Você não sabe o bastante para ser um perigo para eles. Além disso, eles estão acostumados a jornalistas bisbilhotando e tentando expo-los. Nenhum teve sucesso de forma significativa. Muitos livros foram escritos sobre eles. Portanto, não vão incomodá-la. O interesse deles será em por e só por mim. Essa é uma das razões que tomo cuidado com que lhe conto. Eu sei que eles vão ler essas transcrições assim como também a NSA, CIA, ACIO, e todo Grupo Labirinto. Eu estou permitindo gravar estas conversações porque sei que quem irá ouvir estas exatas palavras, e gostaria que eles soubessem precisamente aquilo que compartilhei com você, e atravé de você, para o público em geral...

Anne: "Eu ainda não entendi. Se o Grupo Labirinto, o ACIO e esta rede secreta de organizações são todos tão nobres e benevolentes, por que você teme por sua vida? E por que se escondem como ratos?"

Dr. Anderson: "Para responder sua primeira pergunta, eu temo por minha vida porque tenho informação que poderia causar danos irreparáveis a uma variedade de organizações secretas... embora eu não tenha nenhuma intenção de fazer isso."

Anne: "Mas simplesmente porque você sabe estas coisas que eles vão caçá-lo e matá-lo ? Parece um grupo simpático. Certamente não mau..."

Dr. Anderson: "Lembre-se ... eles são extremamente controladores. Eles não querem ninguém livre que possa lhes causar problemas. Se eu quisesse, eu poderia derrubá-los. Eu sei muito sobre os algoritmos de seus computadores e tecnologias de codificação."

Anne: "Mas como você teria acesso ao sistema deles?. Ao meu ver você estaria se colocando em uma situação muito difícil, caso tentasse entrar no sistema deles."

Dr. Anderson: "Eu não preciso entrar no sistema deles para causar problemas, preciso entrar no sistema deles para prevenir problemas. Eles vão me convidar para ingressar no sistema deles."

Anne: "Eu não entendo..."

Dr. Anderson: "Quando eu inicialmente desenvolvi o sistema, havia certos algoritmos previstos para serem acionados em tempos específicos, e se eles não forem mantidos adequadamente, o programa basicamente vai se auto destruir. Algo que estas organizações não podem deixar acontecer."

Anne: "Por que eles aceitaram isso?"

Dr. Anderson: "Faz parte dos honorários do Grupo Labirinto para seus clientes. Mais importante, é garantir que nossas tecnologias, até mesmo as em estado de adaptação, sejam operadas de acordo com o que foi acertado e que não haja abuso. Eu tenho os códigos de acesso para este sistema e a chave de manutenção que não permitirão seu colapso. Fiz de tal forma que apenas eu sei como funciona."

Anne: "Você está me dizendo que com todas essas memórias fotográficas que circulam no Grupo Labirinto, você é o único que sabe o código?"

Dr. Anderson: "Eu não informei o número correto quando fiz minha última atualização do sistema... dessa forma, sim, eu sou o único que sabe o código correto. Fiz assim para garantir minha segurança..."

Anne: "Mas com todos os gênios do Grupo Labirinto, você está me falando que eles não podem resolver este problema?"

Dr. Anderson: "Não sem empregar muito tempo... que é algo que Fifteen não vai concordar. É muito desperdício e um grande desvio da pesquisa de BST."

Anne: "Eles já sabem sobre isso?"

Dr. Anderson: "Oh, sim. Eu os informei logo após minha deserção."

Anne: "Eles devem ter ficado enfurecidos."

Dr. Anderson: " Eu diria que não foi uma conversa agradável."

Anne: "Eu estava pensando em todas essas tecnologias sofisticadas que o Grupo Labirinto tem, e não consigo entender uma coisa. Como vocês fabricam isso? Presumo que a Intel ( N.T. Intel – Maior fabricante de chips do mundo ) não está fazendo a fabricação. Correto?"

Dr. Anderson: "Correto. Não há ninguém neste planeta que pode fabricar estas tecnologias. Elas são todas baseadas na tecnologia de Corteum, que está aproximadamente 150 gerações à frente de nossas melhores tecnologias de computadores aqui na terra. Por exemplo, o projeto LERM usou apenas uma tecnologia doméstica de um total de 200 tecnologias diferentes, e era uma parte relativamente insignificante do projeto..."

Anne: "Qual foi?"

Dr. Anderson: "É um derivado de uma tecnologia de telemetria a laser que o ACIO desenvolveu mais ou menos 20 anos atrás, mas preencheu as necessidades específicas do projeto LERM, pois era baseado em protocolos analógicos que foram necessários para a aplicação naquela parte específica da experiência."


Próxima (99) | Índice | Anterior (97)


Nota de Euro Oscar

Em verdade são 13 as páginas deste site referentes às entrevistas com o Dr. Anderson, que correspondem às 5 partes não mais disponíveis na Internet (as partes 5, 7, 8, 9 e 10).

Por serem longas as transformei em 13, que mesmo assim continuam extensas. Faltam as quatro primeiras partes originais, de acordo com a publicação impressa, bem como a sexta, que não estavam disponíveis no site original da revista Amaluz, cujos conteúdos não se encontram mais na Internet. O site atual usa o antigo nome, mas está em mãos de outra empresa ou pessoa e possui outro tipo de conteúdos. Mesmo assim, os antigos textos da revista, aos quais me permitiram o acesso e divulgação aqui no site, permitem uma boa compreensão do contexto dos temas e a captação das mensagens essenciais, principalmente porque consistem em perguntas e respostas, onde são retomados temas que estavam nas outras páginas ausentes.

Subdividi em 2 páginas este quinto trecho, que originalmente era a "Parte 10" na revista Amaluz. As páginas que faltam não se acham na INTERNET, em português, até o presente momento.


Fonte

Textos publicados originariamente na revista Amaluz, que há mais de dez anos não tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação. Permitiram estas minhas republicações aqui, pelo que fico imensamente grato. Faço votos de que a estimada revista e o site possam renascer, com a mesma qualidade de antes.
Euro Oscar, autor deste site.


Buscar no Site


Home