Revista Amaluz: Página 80


Liberdade aos Cativos. Terapia de Possessões Espirituais


Por Dra. Louise-Ireland-Frey


(Do Capítulo 7 do seu Livro)


Parte 3


Jock - 1

"Jock" era um jovem muito talentoso e inteligente, desempregado na ocasião. Passara por várias fases de azar e sentia que forças negativas tinham sido orientadas contra ele, dois anos antes, quando estava segurando nos braços uma criança, e meditava para curar-lhe a febre. O pai da criança veio para casa, bateu na mulher por permitir que Jock segurasse a criança e mandou que ela: "Nunca o deixasse tocar o menino!"

Em estado de hipnose, ele respondeu rapidamente a meu chamado quando pedi que a entidade mais forte ali presente emergisse. A entidade disse que seu nome era Mikedor; que nunca tivera um corpo próprio e entrara em Jock "para o destruir."

Você é energia "conjurada" por um mago negro?

— Eu simplesmente sou. Fui criado por uma pessoa para destruir esta aqui.

Por que esta pessoa queria destruir Jock?

— Não sei. A fonte da qual vim me mandou; meu propósito é despedaçar e destruir a mente e corpo desta pessoa aqui.

Você está feliz por realizar esta tarefa?

Houve uma pequena pausa. "Não."

Parece-me que foi um mau negócio, você ser controlado, não ter liberdade, nem prazer.

— Não foi um "negócio." Não tenho vontade própria.

Mikedor, vou explicar. Há forças de destruição e também forças de crescimento, forças positivas. Você tem vontade própria. Você pode ser feliz. Estou chamando algumas entidades Resplandecentes. Agora você só precisa se virar para elas; simplesmente se volte para que a luz delas brilhe no seu rosto, só isso. Você pode optar entre descer às trevas para sempre — e nunca aborrecer nenhuma criatura viva — ou se voltar para a Luz. Vou contar lentamente até três enquanto você pensa e faz sua escolha: um, dois, três.... O que decidiu?

— Seguir em frente — rumo aos desejos — passar à Luz.

Quando ocorre um momento assim sinto-me profundamente comovida. Nada há de superficial nem de falso nesses momentos. Também me sinto profundamente aliviada. Raramente uma entidade tomou a decisão contrária, mas a pausa durante a qual as coisas estão na balança é uma aflição.

Sugeri agora a Mikedor: "Por que você não vai ter com os Seres Resplandecentes e inclina a cabeça diante deles? Você não sente felicidade agora? Olhe-os no rosto e me conte as suas expressões."

— Abertas e carinhosas.

Alguma vez já viu alguém olhá-lo com carinho?

— Ninguém jamais me olhou.

Quando ele disse isto, senti a solidão daquela existência. "Mikedor, o caminho não é curto. Se você estiver disposto a ir ao Lugar de Aprendizado, dê a mão a um dos Seres Resplandecentes." Houve uma pausa. "Até agora nunca lhe permitiram tomar decisões? Certo, está pronto para entrar na Luz?"

Novamente ele respondeu afirmativamente; e Jock o viu partir com os Seres Resplandecentes, rumo aos "desejos."


A Energia de Votos, Maldições e Feitiços; Não-Humanos, Não-Entidades

Estas influências, às vezes personificadas e às vezes não, podem continuar afetando as pessoas de uma geração para outra, seguindo a linhagem física, como num exemplo dado abaixo, ou seguindo a linhagem cármica, a partir da vida de uma alma passando por vidas sucessivas.

Quase sempre aqueles que nós encontramos foram negativos mesmo que originalmente tenham começado por "amor" ou "proteção" — sendo no fim mais uma questão de desejo de controle ou posse do "amado" do que a representação de uma ternura pura e desinteressada.

Às vezes o voto afeta o curso da vida, não apenas da vítima da maldição, mas também de quem fez o voto, como veremos abaixo. Às vezes o voto ou maldição encontra-se encerrado, por assim dizer, numa concha de intenção e pensamento fortes, sendo enviado para longe de seu criador na forma de uma entidade separada destinada à pessoa a ser influenciada.

Os votos ou maldições do último exemplo são mais formas-pensamento. Parece haver considerável sobreposição dos tipos de perturbações e dos tipos de influências obsedantes ou molestadoras.


Próxima (81) | Índice | Anterior (79)


Fonte

Textos publicados originariamente na revista Amaluz, que há mais de dez anos não tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação. Permitiram estas minhas republicações aqui, pelo que fico imensamente grato. Faço votos de que a estimada revista e o site possam renascer, com a mesma qualidade de antes.
Euro Oscar, autor deste site.


Buscar no Site


Home