Revista Amaluz: Página 115


Linhas Ley e o Significado de Adão


Por Richard Leviton e Robert Coons


Parte 13 (de 16)


Todas as linhas ley, ao que parece, conduzem a Avebury. Toda a energia da Malha concentra-se no Círculo de Avebury, nosso umbigo da Malha planetária. O propósito de Avebury é harmonizar a consciência humana com seu propósito na Terra. Em Avebury reside a expressão terrena da Semente resplandecente de Luz divina. Dentro do corpo humano, como descobre o Cavaleiro do Graal, habita esta mesma Semente de Luz, esta chama do Espírito, que chamamos Nimitta ou Estrela Resplandecente. (16*)

Essa Semente, esteja dentro do humano, esteja em Avebury, é a mesma Estrela Resplandecente. É a mesma Semente de cristal resplandecente da qual nasceram fisicamente tanto Gaia como Adão, gerados pelos Elohim, a quem o Gênese, nas traduções exotéricas e confusas padrão, chama Deus. É mais correto dizer que os Elohim são agentes de Deus, os Filhos da Luz, bem como agentes de nossa criação local.

Este aspecto fundamental da Malha e da vida humana fará mais sentido quando examinarmos algumas palavras-chave. Avebury, Adão e Elohim são palavras codificadas simbólicas criadas pelos Elohim por meio do idioma sagrado da Cabala (que atribui valores numéricos às letras, ou seja, gematria).

ADÃO (1.4.40, tecnicamente escrito ADM) significa "Aleph (A.1.) enterrado no Sangue da Terra (DÃO, 4.40)." Aleph aqui significa a Estrela Resplandecente do Espírito eterno, a chama universal do Nimitta, implantada como semente imperecível de Luz dentro do corpo humano de barro e sangue (DÃO). Ou seja, o Reino dos Céus resplandece dentro de nós como esta Estrela (Aleph). AVEBURY é o lugar (BRY, 2.200.10) onde foi implantada (ou enterrada) a Aleph na Mãe (AVE, 1.6.1) Terra. Avebury é a Aldeia da Mãe, o lugar do grão da Mãe, ou semente. Avebury, como o coração interior de Gaia, era a porta coração/útero de Adão, o lugar terrestre onde Adão pela primeira vez encarnou na Terra vindo do Jardim do Éden situado no Alto. Adão chegou com a Estrela Resplandecente que arde como uma fornalha ofuscante dentro de seu complexo mente/corpo. Adão apareceu na Terra através Avebury na forma de uma chama maravilhosa do Céu a caminhar em forma humana. Avebury continua a ser o lugar da Terra ao qual podemos ir para nos lembrar de nossa incandescente chegada espiritual no planeta.

ELOHIM, uma hierarquia angélica, eram os Deuses do Criador de Adão e Gaia, os adivinhos mestres da geo e do soma. Os Elohim implementaram a transferência da Estrela Resplandecente dos reinos espirituais para a forma de vida senciente, orgânica e em evolução de Adão, seguindo a mesma analogia segundo a qual a Aleph foi dada ao planeta Terra, tornando-se nossa forma de vida senciente, orgânica e em evolução de Gaia. De certo modo, os Elohim supervisionaram e auxiliaram a cocriação de Adão e Gaia como seres homólogos.

Examinemos o assunto com mais cuidado ainda. Isto esclarecerá nosso modelo composto da Malha, Terra, Adão e Elohim. A Luz, na Cabala, é AWR ou 1.62 (tecnicamente, é 1.6.200, mas os zeros finais são redundantes). AVE, a Mãe, é 1.61. A proporção fi da espiral de luz é 1,61 (ou, exatamente, 1,618034, que pode ser arredondado para 1,62). A Terra e Adão têm uma relação matematicamente homóloga na qual ADÃO é 144 e a Terra, por meio de sua Malha (ou seja, Malha 1746 Eletromagnética, a Taça Dourada, e Corpo de Cristo) é 1746. Ambos os números estão relacionados através da proporção fi.

O Cordão Prateado, o cabo elétrico umbilical de duplo entrelace primário que entra em Avebury, é composto de 666 (o Pai solar de Luz, a Semente, o Nimitta, Aleph, ou Estrela Resplandecente, e linha dourada) e 1080 (a Mãe lunar das Formas e linha prateada). Sua relação como luz polarizada (666/1 080, positivo/negativo) é expressa como fi 1,61, ao passo que sua soma é 1746, também uma função de fi. Temos, portanto, Luz (AWR 1.62) se deslocando pelo umbigo como Eletricidade (cargas positivas/negativas, expressas como 666/1080) e manifestando-se como Eletromagnetismo (os nodos norte/sul polarizados da Malha Eletromagnética 1746, manifestados por meio das características yin/yang das 12 Linhas Oroboros). Esta canalização de Luz à Eletricidade e ao Eletromagnetismo gera Vida física, expressa como Adão e Gaia, como o teatro bioorgânico para sua interação, mediado pela Malha Megalítica.

A palavra Terra, a propósito, é escrita na Cabala como ARTZ (ou ERTZ 1.200.90, ou 291, cujos dígitos totalizam 12, o número primordial da Malha Oroboros e do Templo do Zodíaco). Em termos de mitologia, a Mãe das Formas (1080) cria o Santo Graal para que ele contenha a Semente de Luz do Pai (666, Estrela Resplandecente), ao passo que os Elohim (as Donzelas do Graal angélicas) trazem o Graal (agora 1746, tanto Semente como Invólucro) à Terra (ARTZ, o Castelo do Graal de 12 lados) para Adão (144), o Cavaleiro do Graal e o Portador do Graal.


Próxima (116) | Índice | Anterior (114)


Referências

(16*) - For more information on Nimitta and Blazing Star, consult Looking for Arthur, Volume 1: Joseph Seed, by Richard Leviton, 1987.


Fonte

Textos publicados originariamente na revista Amaluz, que há mais de dez anos não tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação. Permitiram estas minhas republicações aqui, pelo que fico imensamente grato. Faço votos de que a estimada revista e o site possam renascer, com a mesma qualidade de antes.
Euro Oscar, autor deste site.


Buscar no Site


Home